quarta-feira, 10 de maio de 2017

Prisão de Policial Militar de Pau dos Ferros, que se recusou a trabalhar na folga, vira tema de debates na Assembleia Legislativa.

A prisão administrativa do policial militar Reginaldo, em Pau dos Ferros, foi o assunto do pronunciamento do deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade), na sessão desta terça-feira (09), na Assembleia Legislativa. O parlamentar criticou a decisão do Comando da Polícia de prender o policial que não quis trabalhar no Carnaval, quando não estava programado. 

"O policial Reginaldo foi preso administrativamente por se recusar a trabalha na sua folga. Não era uma urgência onde a polícia é convocada e tem que acatar", afirmou Kelps Lima, fazendo críticas ao Governo do Estado pelo fato de se preocupar com a folga de um policial quando há problemas maiores acontecendo nas estradas esburacadas, no abastecimento de água e na saúde pública. 

Para o deputado Kelps, a polícia trabalha sob pressão, e ele citou o assalto a uma agência bancária ocorrida nesta terça (9) em Natal, onde os militares trocaram balas com bandidos. "Eles trabalham sob alto nível de tensão e tem que ter folga", reforçou o parlamentar em seu pronunciamento, aparteado pelos deputados Getúlio Rêgo (DEM), Carlos Augusto Maia (DEM) e Fernando Mineiro (PT). 

De acordo com Getúlio Rêgo, o problema com o policial de Pau dos Ferros foi de cunho político e não teve a interferência do Comando Geral da Polícia. Para Getúlio, o pelotão local da PM tem se envolvido em questões eleitorais e esse foi mais um caso. 

O deputado Carlos Augusto Maia (PSD) tirou a responsabilidade do Governo do Estado no caso de Pau dos Ferros. Ele disse que considerava absurdo o ocorrido, mas que a prisão foi efetuada dentro da legislação, considerada pelo próprio deputado como "arcaica". Carlos Augusto disse que defendia o Governador, mas se a prisão foi efetuada por motivação política, ele não tem como defender. 

O deputado Fernando Mineiro também criticou a prisão do policial, lembrando que fez parte da campanha do governador Robinson Faria o compromisso dele na área de segurança pública, que não vem sendo cumprido. Mineiro considerou o ato ocorrido em Pau dos Ferros como "ditadura".

*Politica pauferrense

Um comentário:

  1. Uma verdadeira perseguição política. Infelizmente isso é um problema acometido como normal em cidades pequenas.

    ResponderExcluir

Opine com responsabilidade sem usar o anonimato!

A Liberdade de Expressão... está assegurada, em Lei, à todo Cidadão,LIVRE!

Entre em contato - E-mail: nossoparanarn@gmail.com